Seja benvindo...entre que a casa é nossa!

domingo, 24 de janeiro de 2010


O QUE É SAUDADE?
Anna Peralva

É uma pequena e infindável pedra de sal,
nascente de agonia onde a lágrima germina
quando a ausência do amor a tudo domina...

E quando a mão da noite sem luz inclina-se,
a alma ferida um manto de lembrança tece,
cobre um pobre ser, que de saudade padece!

E no sal desta saudade a esperança mina,
o sonho não sonha, o dia é aquarela vazia;
cego tempo de silêncio, abandono e afasia...

É água de um atípico oceano que ilha o corpo
onde a pele expele um suor sempre salgado
pois a face traz um olhar, que vive molhado!

È não ter para onde ir, não mais poder voltar...
Saudade é lacuna de amor, legado que perdura;
dor abstrata, que sangra concreta e sem cura!

Nesta canção sem enredo, imagens vivem no escuro
numa dança sem coreografia, uma solidão sem face
alastra-se livre, devasta emoções sem qualquer disfarce!

Saudade é lua que mingua uma razão sem prumo,
é coração alagado, num barco furado e sem rumo...

02/01/2010

&&&



2 comentários:

LUCONI disse...

Ah menina que lindo ficou, sabe a alma dominada pela saudades, sente que o corpo que a contem é pequeno e deseja a liberdade por instantes que seja, apenas para poder projetar-se e matar tão grande saudades. beijos Luconi

Ana Maria disse...

Olá Guida, feliz em estar no seu famoso Café Poético ao som do Taiguara. Agradeço o comentário da Luconi, que tão bem expressou o que uma alma em saudades. Penso que saudades deveriam ter asas para poderem voar e pousar no porto abrigo. BEIJUS E sucesso! Anna Peralva