Seja benvindo...entre que a casa é nossa!

segunda-feira, 12 de abril de 2010


REVIVER

O vento parou.
A flor murchou.
Quase morri.
A luz não se apagou.
O nada de tudo passou.
Aconteceu.
Ressuscitei,
Pra vida.
Às vezes o sol se esconde
Mas sei que vai voltar.
Não perco, mas a força
Nem o prazer de voar
Quero horizontes floridos
No céu azul limpo
Sentir o toque do vento
Encontrar na noite a gota do orvalho
Saber o que sinto
No toque mais lindo
Sobre a pele aveludada
Quero ser amada.
Quero amar,
Nascer,
Crescer,
E ser feliz.
Quero chorar,
Por entender que consegui.
Ter você aqui!

Adriana Leal

Um comentário:

Amapola disse...

Bom dia, amiga Guida.

Poema muito bonito.

Um grande abraço.